top of page

Próxima Parada — Croácia: Visite o país com o pôr-do-sol mais belo do mundo.


Se você curte viajar e costuma ficar de olho nos destinos que andam em alta, deve ter se deparado com a Croácia diversas vezes. Após sua Guerra de Independência — que durou de 1991 a 1995 — e posterior separação da Iugoslávia, o país vem pouco a pouco se recuperando das cicatrizes políticas, econômicas e espirituais deixadas pelos conflitos, e nos últimos anos, vem caindo na graça dos turistas. E não é para menos!

Além de ter fama de contar com o pôr-do-sol mais belo do planeta — segundo Alfred Hitchcock —, oferecer incontáveis praias banhadas pelo badalado Adriático e ter paisagens montanhosas de tirar o fôlego, a Croácia também conta com diversos sítios históricos pra lá de deslumbrantes. Então, antes de você arrumar as malas e correr para lá, que tal conhecer um pouco mais sobre esse incrível país?

Passado conturbado

Localizada na Europa, mais especificamente na região dos Balcãs, embora o território tenha sido ocupado desde a Pré-História, a Croácia surgiu no século 7 na forma de ducado e, depois, no século 10 como reino. Ao longo de sua História, ela sofreu com invasões e pressões de diversas potências vizinhas, como a Áustria e a Hungria e, no século 20, foi incorporada à Iugoslávia.

Como nação, a Croácia é bastante jovem. O país surgiu em 1991, depois de declarar sua separação da Iugoslávia. Contudo, os croatas tiveram que enfrentar alguns anos de conflitos sangrentos com a minoria sérvia do país — apoiada pelos iugoslavos — para finalmente conquistar a independência. O conflito terminou em 1995, em 2009 a Croácia passou a fazer parte da OTAN e, em 2013, entrou para a União Europeia.

Geograficamente falando

Praia de Brela (por Jan Wlodarczyk)

A Croácia conta com uma extensão de pouco mais de 56,5 mil quilômetros quadrados, e mais de mil ilhas também fazem parte de seu território, das quais 66 são habitadas. O país possui mais de 5,8 mil quilômetros de costa — banhados pelo belíssimo Mar Adriático — dos quais 1,7 mil corresponde ao continente e os 4 mil restantes, às ilhas.

Fazendo fronteira com a Eslovênia, Hungria, Sérvia e Bósnia-Herzegovina, sua população é de aproximadamente 4,5 milhões de habitantes, sendo composta por 90,4% de croatas, 4,4% de sérvios e os 5,2% restantes por eslovenos, húngaros, bósnios, eslovenos, tchecos e outros. O idioma oficial é o croata e a moeda em circulação é a Kuna. Mas, que tal ir ao que interessa?

Principais atrações

A Croácia oferece desde praias badaladas com águas cristalinas a vilarejos de pescadores localizados em ilhazinhas, assim como reservas naturais e florestas imaculadas e cidades repletas de restaurantes, bares e vida noturna pra lá de agitada. Além disso, quem visita o país também pode aproveitar os bons vinhos e a gastronomia local, assim como visitas a cidades repletas de História.

Praia de Zlatni rat — ou Chifre Dourado — na Ilha de Brac (por SIME)

Para quem curte iates luxuosos e o ambiente que normalmente esse tipo de hobby, a cidade de Hvar é o destino indicado. E o melhor é que além das festas e badalação, esse é o local com o maior índice de insolação do país, com mais de 2,7 mil horas de sol por ano. Outra opção que você deve incluir no roteiro é a pequena cidade de Zadar, com suas ruinas da época da Roma antiga e seus charmosos cafés e mercados de rua.

A capital também merece ser visitada e, além de conferir os belos edifícios de arquitetura austro-húngara, uma coisa que ninguém deve deixar de experimentar em Zagreb é o “špica”, ou seja, algo que se tornou uma espécie de ritual que ocorre aos sábados pela manhã — normalmente antes do almoço —, durante o qual as pessoas se sentam preguiçosamente em mesinhas para tomar café e bater papo.

Outro local que é campeão de visitas é o Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, que ocupa 20 mil hectares repletos de bosques, cachoeiras espetaculares e lagos cristalinos — 16 no total —, e serve de lar para ursos, lobos e cerca de 120 espécies de pássaros.

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice

Viagem no tempo

Palácio de Dioclaciano

Já para quem curte viajar no tempo e visitar locais históricos, uma parada obrigatória é a cidade de Split, onde se situa o “Palácio de Dioclaciano”. No entanto, não pense que você vai se deparar com um enorme palácio, pois, na verdade, o coração da cidade se encontra no interior do complexo! Construído pelo imperador romano Dioclaciano entre os séculos 3 e 4, a estrutura mede 31 mil metros quadrados e abriga cerca de 220 edifícios e 3 mil habitantes.

O Imperador não fez economia na hora de construir o Palácio, importando pequenas esfinges e colunas do Egito, e usando mármore proveniente da Grécia e Itália. Ao longo dos séculos o complexo foi ganhando novas edificações, como a catedral, que foi construída na Idade Média, diversas fortificações e igrejas romanescas dos séculos 12 e 13, e palacetes em estilo gótico, barroco e renascentista construídos no século 15.

Atualmente, o Palácio de Dioclaciano é listado como Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO e suas ruazinhas formam labirintos onde é possível encontrar lojas, bares e restaurantes, assim como um bocado de turistas.

Contudo, Dubrovnik, sem dúvida nenhuma, é a principal estrela do show. Conhecida como “Pérola do Adriático”, esta cidade costeira fica situada no extremo sul da região da Dalmácia e também figura na lista da UNESCO de locais considerados como Patrimônio Mundial da Humanidade. A localidade ainda se encontra rodeada por fortificações e muralhas que dão para as águas do Mediterrâneo.

A partir do século 13, Dubrovnik se tornou uma importante fortaleza marítima do Mediterrâneo, e sobreviveu — apesar de sofrer grandes danos — a um grande terremoto em 1667, e também aos conflitos armados que ocorreram nos anos 90 contra os sérvios. No interior de suas muralhas é possível encontrar igrejas, mosteiros, palácios e fontes barrocas, góticas e renascentistas. E não se preocupe, pois Dubrovnik oferece inúmeros hotéis 5 estrelas e restaurantes luxuosos.

Gastronomia

Como você deve imaginar, pela proximidade com o mar — e localização no Mediterrâneo —, a gastronomia se baseia fortemente em peixes e frutos do mar. Além disso, a região oferece excelentes vinhos, sem falar que as maiores trufas brancas do mundo, “caçadas” até bem recentemente através de porcos guiados com coleiras, se encontram por lá.

Entre alguns dos pratos típicos, estão o cevapcici, feito com carne de porco ou vaca moída e bem temperada, o zagorski štruklji, que consiste em massa folhada preparada com uma mistura de queijo cottage, ovos e creme azedo servida com nata, o ražnjici, um popular espetinho muito consumido no país, o queijo de cabra chamado pag, típico da ilha de Pag e frequentemente servido como aperitivo e palacinke, uma espécie de crepe recheado com nozes ou chocolate servido com sorvete.

Com respeito às bebidas alcoólicas, além dos famosos vinhos, na Croácia também são produzidas várias cervejas de qualidade, como a Velebitsko pivo, a Tomislav, a Ožujsko e a Karlovacko. Além disso, entre os destilados estão o marasquino, um licor produzido a partir da cereja marasca, o licor pelinkovac, feito à base de ervas, e a famosa rakija, bebida parecida ao conhaque e obtida a partir da destilação de frutas fermentadas.

Cultura e tradições

A Croácia, apesar de compartilha muitas de suas tradições com outros países europeus, também possui costumes particulares. No entanto, uma das demonstrações mais conhecidas é uma dança com espadas conhecida como Moreška. Ela surgiu na Europa entre os séculos 12 e 13, e chegou à Croácia no século 15, provavelmente vinda da Espanha. Assista um trechinho no vídeo abaixo:

Fonte: megacurioso.com.br

7 visualizações0 comentário

Comments


whatsapp.png
bottom of page